FACEBOOK

Resenha Alviverde - Opinião: Aqui se paga, aqui se faz?


Foto: Cesar Greco
Primeiramente: eu não acho, não concordo, etc... que investimento é sinônimo de títulos. Eu acho sim, que um clube como Palmeiras que paga salário em dia, que fecha as contas no azul, tem valores exorbitantes com a bilheteria, tem um dos mais caros planos de sócios, entre outros, tem uma certa “vantagem”, em relação aos demais clubes do Brasil, a conquistar títulos. Vide os três campeonatos nacionais nos últimos quatro anos, é uma marca impressionante e que sem investimento certamente não alcançaríamos isso.

O problema de tanto investimento, de tanto dinheiro envolvido em negociações, é que a cobrança – mesmo eu não concordando – acaba sendo maior para a conquista desses títulos. Eu apoio e defendo sempre que a cobrança tem que ser em cima do rendimento. Se você investe e seu dinheiro não rende, você vai cobrar de quem? De quem tá trabalhando nele, correto? Pois bem, quem trabalha e recebe bem, por esse investimento, é quem tem que ser cobrado.

A derrota para o nosso maior rival gerou algumas dúvidas sobre as contratações, feitas pelo diretor Alexandre Mattos, nesse ano. Sobretudo a contratação do atacante Carlos Eduardo, que custou mais de 25 milhões (a segunda contratação mais cara da história do Palmeiras), sem nunca ter vestido uma camisa de peso e sequer ter ganho algo importante na carreira profissional.

Sem dúvida, Carlos Eduardo, foi um dos piores do derby, errando muitos passes fáceis e perdendo a chance mais clara da partida. Devemos cobrá-lo sim! Pelo investimento que foi feito nesse jogador, em um derby, no mínimo o que a gente espera é que ele chame a responsabilidade e não amarele. Mas cobrar até certo ponto, porque ele não pode ser o “cara do time” tem outros que ganham salários maiores e que também foram de mal a pior.

O que dizer do Lucas Lima? Sempre tirou barato da cara do Palmeiras, nas redes sociais, quando o seu ex-clube vencia o alviverde. Era tanto amor escondido que acabou vindo pra cá. Mas será que veio o certo? Ou só queria jogar bem contra o Palmeiras? Eu cansei de ver jogos do Lucas Lima, diante do nosso rival de domingo passado, em que ele decidiu com passes – que um meia deve e sabe fazer – e até com gols. Onde está esse Lucas Lima? Será que a camisa verde é mais pesada que a branca do outro time? Será que mais de 30 mil em um estádio assusta o jogador? Não há explicação para as escondidas participações do camisa 20 nos clássicos. Jogar “jogo pequeno” é fácil, a gente precisa de um “camisa 10” que decida jogos e não que fique preocupado com o cabelo, barba e dentes, que parece não ver a hora e acabar o jogo para ir mexer no celular. Nós queremos vontade, você ganha para fazer isso!

Miguel Borja: sempre defendi com unhas e dentes, foi a última contratação (fora o Goulart) que eu mais comemorei. O via jogar no Nacional-COL e falava: esse cara é o que o Palmeiras precisa. E cadê? Será que se assusta igual o Lucas Lima? Será que são os mesmos motivos? Ele é tão caneludo assim mesmo? Realmente eu não entendo. É outro que ganha bem, é a maior contratação da nossa história, e é o artilheiro dos jogos inúteis. Ainda não brilhou aqui como brilhou - das quartas de final até a final -na Libertadores de 2016, sendo eleito o melhor jogador da América. Precisamos de mais, precisamos de vontade, de raça, de bola na rede. Não precisa driblar, não precisa dar carretilha, não precisa ser craque, apenas empurre a bola para o fundo do barbante. Você ganha bem pra fazer isso, apenas faça!

Antes de concluir, não falarei do Deyverson. Esse, apesar do gol do título ano passado, já provou que foi o pior investimento da Sociedade Esportiva Palmeiras. Para mim, nunca serviu, continua não servindo e agora, depois de cuspir em alguém (nada justifica isso) não servirá mesmo!

Por fim, falarei do Dudu. Pode criticá-lo? Todos sabem que o ídolo da camisa 7 tem sido decisivo em grande parte dos campeonatos. O pequeno cresce em decisão e se sobressai diante os demais jogadores. Mas qual foi o último derby que Dudu jogou bem? Vou além, qual o último derby que Dudu “bateu no peito” e chamou a responsabilidade do jogo pra si? Pelo que o Dudu ganha (o maior salário do time) era ele fazer isso todo jogo e não só as vezes. Queremos o Dudu da final da Copa do Brasil 2015 em todos os jogos e não só em decisões, já que em muitas outras ocasiões importantes esse Dudu também não apareceu. É bem pago, muito bem por sinal, pra demonstrar tão pouco.

A torcida do Palmeiras não aguenta mais time amarelão e exige que a equipe demonstre ao menos raça diante do nosso maior rival. Clássico não se joga, clássico se vence, e jogando feio e ganhando a torcida vai aplaudir do mesmo jeito. Faz anos que o rival joga feio e “acostumou” levar a melhor sobre nós e isso a gente não aceita.

Antes de qualquer coisa, não quero que nenhum jogador (do atual elenco) - principalmente que foi citado aqui nesse texto - deixe o Palmeiras. E nem preciso ouvir que eu mereço um time com Ricardo Bueno, Tinga, Bruno César, etc... porque não é o caso. Quero que os jogadores de hoje demonstre um pouco mais de vontade e honre a camisa mais pesada do futebol brasileiro.

Postar um comentário

0 Comentários