FACEBOOK

História Verde: A atuação que valeu uma vaga para a Copa de 94

Iomar do Nascimento, ou simplesmente Mazinho, foi um dos maiores jogadores de todos os tempos do futebol brasileiro. Dono de um talento e uma categoria de encantar os torcedores, Mazinho atuava na lateral e no meio-campo, quase sempre fazendo a vez de segundo volante.

Começou sua carreira no Vasco da Gama, onde foi campeão brasileiro em 1989. Em 1990 foi para a Itália, onde jogou no Lecce e na Fiorentina. Em 1992, retornou ao Brasil, era um dos grandes reforços da Parmalat, que acabara de assinar um contrato de co-gestão com o Palmeiras.

Em sua primeira final pelo Alviverde, o campeonato paulista de 1992, contra o São Paulo, Mazinho foi expulso, poderia ser o fim de uma história que mal tinha começado, mas não foi assim. Em 1993, as coisas mudaram da água para o vinho.

Mazinho foi peça fundamental na conquista do título paulista de 1993, título este na qual tirou o Palmeiras de uma fila de quase 17 anos sem títulos. Na final contra o Corinthians, Mazinho jogava na lateral direita, e fez uma baita jogada para o primeiro gol de Evair, o segundo do Palmeiras, no jogo, quando todos estavam tensos pois o Palmeiras ganhava por 1x0, e o Corinthians poderia empatar, o que dificultaria a vida do Palmeiras.

Depois, com a ida de Cláudio e Gil Baiano para a lateral direita, Mazinho foi para o meio, para jogar de segundo volante, onde formou uma excelente dupla com César Sampaio. Uma dupla de volantes de muita técnica e uma absurda visão de jogo. Mazinho foi peça fundamental também na conquista do título brasileiro daquele mesmo ano.

Em 1994, Mazinho também começou arrebentando, mas em um jogo especificamente, ele só não fez chover, foi contra o Boca Júniors no Palestra Itália, pela Libertadores, no dia 09 de março. O Palmeiras deu um show de bola e goleou o time argentino por 6x1, Mazinho não fez nenhum gol, mas participou diretamente de dois, um onde sofreu o pênalti, convertido por Evair, e em outro, onde tentou fazer um gol de cobertura, a bola bateu no travessão e na sobra, de novo Evair aproveitou.

A atuação de Mazinho foi tão monstruosa, que na transmissão, Galvão Bueno e Raul Plassmann não paravam de rasgar elogios ao craque. A atuação valeu uma vaga para a Copa do Mundo. Mazinho ainda ganhou o paulista daquele ano, antes de ir para os EUA, ser também peça fundamental na conquista do Tetra pela seleção brasileira. Depois da Copa, Mazinho foi para a Espanha.

Mazinho se aposentou em 2001, jogando pelo Vitória. Além das grandes atuações ao longo da carreira, Mazinho deixou mais dois frutos para o futebol, seus filhos Thiago e Rafinha. O primeiro joga no Bayern de Munique, e o segundo jogava no Barcelona.


Postar um comentário

0 Comentários