FACEBOOK

História Verde: A virada histórica contra o Flamengo em 1999

Estamos em 21/05/1999, Palmeiras e Flamengo disputam no Parque Antárctica uma vaga para as semifinais da Copa do Brasil naquele ano. O Palmeiras vinha numa maratona de jogos absurda, jogando praticamente 3 jogos por semana, Paulista, Copa do Brasil e Libertadores. O Flamengo por sua vez, contava com o gênio Romário, o goleiro Clemer (que depois veio a ser ídolo do Internacional) e Caio Ribeiro (sim, o comentarista da globo)

O Flamengo havia vencido o primeiro jogo no Maracanã por 2x1, portanto, uma vitória simples por 1x0 bastava ao Palmeiras, que entrou em campo com Marcos, Arce, Roque Jr, Agnaldo, Junior, César Sampaio, Rogério, Zinho, Alex, Paulo Nunes e Óseas. O Flamengo entrou em campo com Clemer, Pimentel, Fabão, Luiz Alberto, Athirson, Jorginho, Maurinho, Rodrigo Mendes, Caio, Beto e Romário.

O jogo começou com o Palmeiras tendo a iniciativa, Alex deu o primeiro chute do jogo, um chute fraco para fácil de defesa de Clemer. No contra-ataque, o Flamengo abriu o placar, Rodrigo Mendes recebeu na grande área, chutou cruzado e forte, sem chances para Marcos. O Flamengo aumentava a vantagem, e o Palmeiras que precisava apenas de um gol, agora precisaria de três.

Naquela época, o Palmeiras de Felipão era conhecido justamente pelas viradas, era um time que não desistia nunca, portanto o time não desanimou, e a torcida também não. O primeiro tempo acabou com o placar de 1x0 para o Flamengo, com o Palmeiras martelando, chegando até a colocar na bola na trave.

Para o segundo tempo, o Palmeiras veio com muito mais garra, e empatou a partida aos 11 minutos, Zinho recebeu na esquerda e chutou cruzado, a bola foi travada pela defesa do Flamengo, então ela sobrou limpa para Óseas que só empurrou para dentro do gol, 1x1 e esperanças palmeirenses renovadas, porém já na saída de bola, o Flamengo consegue uma falta perigosa bem próxima a pequena área, na cobrança, Rodrigo Mendes novamente colocava os visitantes novamente a frente do placar. 2x1 para o Flamengo, a missão do Palmeiras ficava cada vez mais complicada.

Só que o Palmeiras era conhecido por não desistir e isso não era a toa, logo na saída de bola, Júnior empatou novamente o jogo, então o Palmeiras precisava de dois gols. Sendo assim, Felipão colocou Evair e Euller no jogo, nos lugares de César Sampaio e Arce. O Palmeiras, então, foi para a cima, empurrado pela torcida, Euller, o filho do vento, incendiou o jogo. A pressão do Palmeiras era absurda, o time chegou a meter duas bolas na trave em sequência.

O Flamengo, que aquela altura havia perdido Romário, que saiu machucado, resistia a forte pressão do Palmeiras, mas aos 41 minutos, o Palmeiras consegue um escanteio, na cobrança, a bola bate e rebate na pequena área, e sobra para Euller, que de cabeça, empurra para o gol, era o terceiro do Palmeiras no jogo, e o time precisava apenas de mais um para a classificação. Naquela altura, o Parque Antártica pulsava. Dois minutos depois, novamente escanteio para o Palmeiras, mais uma vez a bola bate e rebate, e novamente ela sobra para Euller, que de cabeça novamente, faz o Parque Antártica ir a loucura, a missão do Palmeiras que parecia impossível, tinha acabado de acontecer, mas mesmo assim, o jogo teve tempo mais emoção, com o Flamengo chegando a meter uma bola na trave. O jogo acabou, o Palmeiras de forma heróica estava classificado para as semifinais da Copa do Brasil. O Parque Antártica pulsava, e os jogadores se derrubavam em lágrimas. Um jogo inesquecível.


Postar um comentário

0 Comentários