FACEBOOK

Resenha Alviverde - O medo de perder tira a vontade de ganhar


(Foto: Veja/Abril - San Lorenzo 1 - 0 Palmeiras)
Essa frase do técnico Vanderlei Luxemburgo não poderia resumir melhor o jogo que o Palmeiras fez ontem, ou melhor, os jogos que o Palmeiras tem feito fora de casa, pela Libertadores, desde a chegada do técnico Luiz Felipe Scolari.

Não que eu ache o técnico Roger Machado melhor que o Luiz Felipe, pelo contrário, mas sem medo de jogar, fomos até a La Bombonera e ganhamos de 2 a 0 controlando totalmente os argentinos, já com Felipão as coisas mudaram drasticamente. O time visita os rivais para voltar com um empate, até uma derrota simples as vezes parece ser bem vinda. Isso é um total desrespeito com os torcedores que estão aqui assistindo pela TV e três vezes mais desrespeito com os torcedores que acompanham o time nas viagens, passando por diversas dificuldades para ver o time jogar. O mínimo que se pede é garra e raça, se a vitória vier tudo bem, se não vier que pelo menos tentem alcançá-la.

Felipão entende das coisas, o "Scolarismo" é uma coisa necessária as vezes, quando as dificuldades existem em determinadas partidas, mas contra adversários fracos tecnicamente e com o elenco que o Palmeiras tem, não pode ser aplicado esse tipo de jogo, tem que jogar para ganhar, "passar o carro" e voltar com os três pontos e/ou classificação logo no primeiro jogo. Não da pra ficar arriscando ser eliminado de competições importantes jogando um futebol pífio, sem vontade e totalmente diferente do que pode ser produzido por esses jogadores do atual elenco. 

(Felipão realizando treino na Academia de Futebol)
O técnico precisa abrir a mente para entender, deve ter esquecido, que o Palmeiras precisa se impor e fazer com que os adversários tenham medo e nunca o contrário. Ninguém queria cair no grupo para enfrentar o Palmeiras e vendo as partidas que o time tem apresentado, quem caiu se enche de esperança para conseguir ganhar do alviverde. Assim foi com o San Lorenzo, ontem, o time não ganhou nem 5 partidas no ano, está na zona de rebaixamento do Campeonato Argentino, não jogou tudo isso ontem e mesmo assim saiu com a vitória. É inadmissível!

Além da "cabeça dura" do técnico, que quer defender um esquema que não faz ninguém jogar bola, tem os erros individuais e jogadores que não podem jamais vestir a camisa do Palmeiras. Weverton, seria meu titular hoje também, mas parece que na Libertadores (joga sempre muito bem) é só chutar de longe que ele aceita. Ontem foi quase um replay do gol do Benedetto, no primeiro jogo na semi-final do ano passado, não pode acontecer mais de tomar esses gols. Mas até aí foi uma falha "aceitável". Agora, Antônio Carlos é fraco e treme em partidas importantes, Bruno Henrique ainda está de férias, Moisés é jogador de pôquer, Felipe Pires é tudo, menos jogador, Deyverson é fraco e Raphael Veiga só jogou no CAP. Ainda tem aqueles que não entraram ontem: Carlos Eduardo é fraco, Borja só jogou - de verdade - no Atlético Nacional, entre outros que para mim não dá mais, não servem e poderiam muito bem buscar novos rumos longe do Palmeiras.


É melhor os palmeirenses começarem a consider mais o Paulistinha (me incluo nisso) porque pela forma que estamos jogando, as competições mais importantes do ano, será um fiasco. De verdade, eu não to nada confiante com esse elenco para conquistar uma Libertadores, Brasileiro ou até Copa do Brasil. Se vier o Paulistinha vai ser muito, espero estar errado e queimar a língua, mas está difícil acreditar.

Postar um comentário

0 Comentários